quinta-feira, 26 de abril de 2012

Matrioskas, Faça Fácil e Fabi Guimarães

As Matrioskas mais fofas do momento estão na Faça Fácil deste mês. Embarque nessas páginas cheias de alegria e inspire-se!







Feltros Santa Fé e muito amor, foram utilizados para a confecção dessas fofas!



O mais gostoso de tudo isso, é saber que elas estão aqui ao vivo e a cores...
Além delas, o Atelier está recheado de outros "mimos Matrioskas", caixinhas encantadas forradas de tecido, caixas de madeira, e até mesmo abafadores de chá, tudinho com o tema Matrioskas. Presentinhos descolados e pra lá de fofos, só aqui no Atelier Fabiane Guimarães. Feitos para a alma e para o coração.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Fabi no Portal de Artesanato


Quem recebe o e-news do Portal de Artesanato já deve ter visto a matéria daqui do Atelier, e para quem ainda não teve a oportunidade, segue o link:
http://www.portaldeartesanato.com.br/entrevista/35/Fabiane+Guimaraes


O hobby que começou com uma salinha para guardar os artesanatos se transformou no Atelier Fabiane Guimarães, um aconchegante espaço no bairro paulistano das Perdizes. Em uma conversa descontraída, acompanhada de um café e deliciosos cupcakes, a anfitriã mostra como o negócio cresceu sem perder a personalidade intimista

Por Oscar Neto
Fotos Rodrigo Estrella


“Percebi que as coisas deixariam de ser uma casinha de bonecas.” Foi assim que Fabiane Guimarães definiu o momento da guinada de seu atelier. O confortável espaço caminha para os dois anos e meio de existência, e é lá que a artesã vende seus trabalhos, insumos e ainda o principal produto da casa: as aulas diárias de pintura.


Muitas curiosidades embelezam todos os capítulos dessa jornada, que começou precocemente, aos 15 anos de idade de Fabiane. Nessa época, a jovem fazia trabalhos que ela chamava de colagens, só mais tarde descobriu que se tratava da autêntica découpage. Mas nem por isso ela deixou de ter uma vida comum. Fabiane terminou a escola com 17 anos e emendou uma faculdade. O curso escolhido foi o de publicidade e propaganda, e ela até trabalhou um ano em uma empresa na área de marketing. No entanto, a insatisfação com as atividades que realizava acabou obrigando-a a pedir as contas e buscar novos rumos.

Nesse momento, o artesanato apareceu pela primeira vez com mais força na vida da “ex-publicitária” e, a partir daí, nasceu também o primeiro recanto artístico que seria a origem da ideia da artesã de montar um atelier.

“Aluguei uma sala numa casa para fazer e guardar minhas criações na Rua Capitão Messias, também em Perdizes. Não era uma loja ou galeria, era mais um cantinho exclusivo para desenvolver meus projetos. Eu pintava e criava, e nessa fiquei por sete anos. Mas, desde o instante em que abri esse espaço, descobri o que queria!”, conta Fabiane, que se lembra do momento exato em que optou convicta pelo artesanato: “Tinha uma entrevista de emprego marcada e, quando me ligaram para confirmar, eu disse que não queria mais.”

Fabiane já dava aulas nesse período, ministrava workshops em lojas e ateliers pela marca Camurcyl, fazia algumas encomendas, e, é claro, os passos para a nossa Faça Fácil e outras revistas da On Line Editora.
Sem perder a essênciaPara desenvolver essa paixão, sobrou muito estudo, dedicação e boas influências vindas até mesmo da Europa. “Comecei pintando sozinha o bauernmalerei (pintura campestre alemã). Minha irmã viajou para a Alemanha e trouxe algumas revistas. Eu as traduzia com um dicionário e ia aprendendo, aprimorando e, por fim, ingressei também na pintura country”, relembra Fabiane, que foi aluna de Eliana Zerbinatti, ícone do mundo artesanal, conhecida como a “Tia Lili”.

Depois desse perído de aprendizado, finalmente Fabiane despontou para abrir seu atelier. O espaço das artes, até então despretensioso, foi ficando pequeno e, assim, seria necessário e inevitável que ela pensasse pela primeira vez em mudar de local. “Procurava uma casa, mas, como os imóveis nas Perdizes são muito caros, acabei encontrando uma loja numa galeria de um edifício, localizado na esquina das ruas Cardoso de Almeida com Dr. Cândido Espinheira. Nisso percebi que as coisas deixariam de ser uma casinha de boneca, deixariam de ser uma simples ‘brincadeira’”, conta.

Agora, no coração de um charmoso bairro paulista no tradicionalmente repleto de ateliers em suas ruas, Fabiane Guimarães inaugura o seu. Um ponto de respiro para a arte num cruzamento movimentado e atravessado por trabalhadores apressados e vizinhos distraídos.

Aprendizado x ExperiênciaEm agosto de 2009, a mais nova empresária se mudou, pintou o ambiente e começou a decoração. Mas, como as aulas ainda eram (e são até hoje) a principal fonte da clientela local, o início dessa fase “lojista” teve desafios curiosos e engraçados para a proprietária. “Às vezes, estava dando aula e, de repente, chegava um cliente. Eu até me assustava, pois não percebia a sua presença, já que o salão é pequeno. Além disso, como as aulas eram o negócio, as pessoas queriam comprar as peças expostas, mas eu não queria vender (risos). Demorei para assimilar”, relembra.

E as coisas foram mudando e se moldando ao Atelier Fabiane Guimarães que visitamos nessa entrevista. A anfitriã, hoje com 36 anos, por sua vez, compreendeu o novo estilo de empreendimento que havia criado, e já analisa com um olhar mais aguçado a caminhada. “Aprendi que uma coisa é você fazer peças artísticas para uma revista, cheias de rococós. Outra é fazer peças para o público comprar. Tive que adaptar o  estilo e o preço, pois nunca venderia pelo valor que realmente custam. O marketing tem tudo a ver com o negócio e ajudou muito. Tem que trocar a vitrine toda semana, pensar no produto, onde ele vai ficar na loja, a divulgação, o boca a boca”, explica.






















outros links bacanas relacionados:
http://atelierfabianeguimaraes.blogspot.com.br/2012/02/fabi-na-faca-facil.html
http://atelierfabianeguimaraes.blogspot.com.br/2011/11/faca-facil-por-aqui.html




terça-feira, 24 de abril de 2012

Design, criatividade & patchwork com Lugastal

Sou imortal como todos e tenho sim o meu momento de tietagem. Na semana passada aqui em São Paulo aconteceu a feira de Patchwork, (Brasil Patchwork Show) e tive a grande oportunidade de conhecer a querida Lugastal, que é referência neste segmento. O evento estava pra lá de descolado e a energia radiante.
Para fechar a sexta-feira: encontro com amigos, ver coisas lindas e estar em boa companhia!

 eu e Lugastal (momento tietagem)
fazendo "baguncinha" com a Paty e a Lia no espaço Lugastal


 coisas lindas
 mais coisas lindas
 mais e mais coisas lindas


No próximo post terá novidades Fabiane Guimarães com coisas muito lindas na Faça Fácil. Não percam.
Em breve lojinha virtual no ar. Muitas novidades fofas virão por aí. Aguardem!!
Dia das mães está chegando, não deixem de marcar as oficinas avulsas para pintar aquele presentinho tão especial para a pessoa mais amada do mundo. (11-3873.0918)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

"Eureka"

Segundo Flávio Gikovate, talvez o caminho para o processo mais comum da criatividade seja transformar o que existe em algo que não existe, mas que passará a existir. Toda a inovação real foi antes idéia na cabeça de quem a gerou, e que não veio do nada, surgiu a partir de fatos anteriores que foram o estopim do processo de reflexão e de transformação. Assim se criam novos objetos e novas idéias, que geralmente são evoluções de velhas idéias. O processo de criação esbarra sempre num momento "mágico", no qual surge a idéia de que aquele dado objeto ou conceito poderia ser transformado numa dada direção. É um instante difícil de ser explicado e impossível de ser previsto ou buscado. É o momento da "Eureka", o instante no qual se faz uma correlação que antes não havíamos feito. É um fogo que faz a ligação entre dois metais que jamais se amalgamaram. É a centelha, a faísca do pressentimento do gênio e que também exite nas pessoas comuns. Não é impossível que muitas pessoas tenham estes instantes de criação e os desprezem, não lhe atribuem o devido valor. Não se pode, é verdade, fazer coisas especiais para que eles nos apareçam. Ma é indiscutível que eles só poderão aparecer para aqueles que estão se dedicando com afinco a uma dada atividade.

Este texto para mim é extremamente significativo. Quantas vezes olhamos para aquele pedaço de tecido ou para aquela peça crua, e falamos puxa vida, e agora....o que faço? Acho que isso não acontece somente comigo. Todos devem passar por esse processo de criação que é tão mágico ao meu ponto de vista. Às vezes, determinada peça fica em "stand bye" na prateleira...fica lá...vai ficando, e toda vez que passo por ela, dou uma olhadinha...até que surge...é o momento do estalo, da direção, do que nós chamamos de Eureka. A partir daí, tudo parece muito simples, é só executar, finalizar e pronto! A peça poderá seguir o seu caminho.
Me lembro que na época da Faculdade, no último ano tínhamos que apresentar o TCC, então, montamos uma "Agência de Publicidade" em sala de aula, e o nosso grupo era composto por 4 pessoas, e um dos integrantes da nossa "Agência" nos deu a idéia de colocarmos o nome de "Eureka Comunicação". E era exatamente esta a idéia, a hora do momento "start"!! tempos que não voltam mais.....Mas os starts e as Eurekas continuam a todo vapor..Então como diz Flávio Gikovate..vamos nos dedicando afinco.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Faça Fácil

Além da simpática Renata Ceribelli estar na capa da Faça Fácil deste mês, a revista está deliciosamente doce. Com sugestões criativas e descoladinhas para encantar esta Páscoa. Falta pouco tempo para chegar o dia do "Senhor Coelho", mas ainda está em tempo de acessar o Portal de Artesanato e produzir esses lindos pintinhos e baldinhos que sugeri para esta matéria. As peças foram executadas com Feltro Santa Fé.